Áreas de trabalho

O Projeto Qualipso será estruturado em duas classes de atividades:

(a) atividades problema e

(b) atividades de projeto.

Atividades problema:

O Qualipso escolheu uma abordagem de desenvolvimento onde as fases do projeto podem ser executadas em paralelo, de maneira que as atividades de pesquisa possam obter o feedback da relevância do seu trabalho ainda nos estágios iniciais. As quatro fases previstas são: pesquisa (research), instanciação para os cenários (instantiation to the scenarios) e industrialização (industrialization). A associação entre as atividades de projeto, as atividades problema e as fases do projeto é ilustrada abaixo.

Áreas de trabalho do Qualipso

As atividades problema são as grandes questões que o projeto tem que responder. Elas fornecem as fundações nas quais o projeto será construído. São atividades problema:

A1: Questões legais (Legal Issues) – Devem ser abordadas todas as questões legais consideradas importantes e relativas ao desenvolvimento, reuso e exploração de código aberto (Open Source Software – OSS). O primeiro conjunto de questões a serem tratadas diz respeito às licenças de uso de OSS na União Europeia, a fim de que sejam conformes com a regulamentação europeia, bem como com leis nacionais. Este conjunto também inclui o tratamento de licenças para a documentação de produtos de software com código aberto. O segundo conjunto de questões deve lidar com a compatibilização de licenças e mais abrangentemente com direitos e deveres para componentes de software e seu rastreamento durante o desenvolvimento de software. O último conjunto de questões relaciona-se com a determinação de
responsabilidades, avaliação de risco e sua mitigação no uso de OSS.

A2: Modelos de negócio (Business Models) – Esta atividade deve identificar todas as circunstâncias em que seja indicado o uso de código aberto na indústria: todas as maneiras em que artefatos de código aberto possam ser aplicados e quais os problemas que possam ocorrer devem ser identificados e descritos.

A3: Interoperabilidade – Um fator importante e crítico para o estabelecimento de confiança no uso de OSS é a interoperabilidade entre diferentes componentes de código aberto, assim como a interoperabilidade entre produtos de código aberto e de código fechado. Três dimensões de interoperabilidade devem ser consideradas: (i) técnica; (ii) semântica; e (iii) organizacional.

A4: Documentação e gestão da informação – Esta atividade está focada na pesquisa e desenvolvimento de ferramentas que permitam a gestão e exploração da correlação entre os itens de informação usualmente produzidos em um projeto de desenvolvimento de OSS. A disponibilidade destas ferramentas deve não só ter um impacto positivo na confiabilidade de OSSs, mas também deve representar uma significativa vantagem para projetos de OSS uma vez que a geração e troca de informação seria cultivada em um nível muito acima daquele usualmente estabelecido em projetos convencionais (código não-aberto).

A5: Resultados confiáveis (Trustworthy Results) – O objetivo desta atividade é a identificação, quantificação e avaliação de fatores de qualidade relacionados com produtos de software, bem como relacionados com os artefatos produzidos durante
o desenvolvimento de software que afetam a confiança em produtos de software com código aberto, com ênfase em fatores funcionais e não funcionais. Esta busca levará à construção de um conjunto de conhecimentos (body of knowledge) e de critérios para o estabelecimento de confiança em OSS. Ferramentas de suporte devem ser desenvolvidas e integradas em uma plataforma para suportar o desenvolvimento confiável de OSS.

A6: Processo confiável – O objetivo desta atividade é a definição de um modelo para OSS, nos moldes do CMM, por meio da identificação de fatores que afetem a confiaça no desenvolvimento de software com código aberto e a definição de
especificações para o estabelecimento de processo confiáveis de desenvolvimento de OSS em empresas, com uso do ambiente colaborativo desenvolvido pelo projeto Qualipso.

Atividades de Projeto:

A7: Fábrica QualiPSo – Esta atividade busca definir, construir e implementar uma infra-estrutura (hardware e software) composta de um conjunto de ambientes para apoiar todos os membros do projeto QualiPSo e também para disseminar os seus resultados. A Fábrica QualiPSo também deverá prover todas as ferramentas necessárias para que todos os colaboradores e usuários possam comunicar-se, o que pode ser feito por meio de Wikis, por exemplo.As atividades de projeto são aquelas que integram os resultados das atividades problema em um arcabouço (framework) e avaliam e melhoram sua aplicabilidade de acordo com os diferentes cenários de aplicação. As atividades de projeto também estão relacionadas com as questões de padronização, disseminação e exploração dos resultados da aplicação do framework. A descrição de cada atividade é apresentada a seguir:

A8: Centro de Competências QualiPSo (QualiPSo Competence Centre) – O objetivo da atividade é facilitar o reuso dos resultados do QualiPSo tanto no que diz respeito a ferramentas e plataformas de desenvolvimento quanto a estudos, melhores práticas e outros itens de informação. Pretende-se fornecer a todos os usuários e desenvolvedores de código aberto recursos e expertise numa ampla gama de assuntos relacionados com qualidade de software. O Centro de Compentências incluirá representações de nós de competências, áreas de trabalho, showroom de produtos e salas de imprensa.

A9: Promoção e Apoio (Promotion and Support) – O objetivo principal desta atividade é disseminar os resultados do projeto em uma escala global, trabalhando no sentido de fomentar o interesse pelos mesmos na indústria e na academia e garantir a sua manutenção mesmo após o final do projeto.

A10: Demonstração:

A11: Treinamento - Esta atividade focará no oferecimento de serviços de treinamento tanto presencial quanto através da internet de maneira a propagar os resultados do projeto.

A12: Gerência de Projeto: