USP São Carlos abrigará centro internacional de software livre

A USP São Carlos foi palco, entre 12 e 14 de janeiro, da 8ª Reunião Plenária do Projeto QualiPSo (Quality Platform for Open SourceSoftware). A iniciativa da União Europeiaintenta melhorar a qualidade dos programasde computador de código aberto (open source) e formar recursos humanos para trabalhar na área, considerada estratégica para a inovação nos países em desenvolvimento.
Participaram do encontro anual 50 representantes de universidades, empresas e institutos de pesquisa de diversos países. Ao final, o grupo decidiu pela instalação de duasnovas unidades do Centro Internacional de Competência em Software Livre no País, uma em São Carlos na USP e a outra em Salvador(BA), na Universidade Federal da Bahia.
Os dois novos centros brasileiros se somarão aos já existentes em São Paulo, no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP e em três capitais europeias: Berlim,Roma e Madri. E têm por função desenvolver e certificar a qualidade de programas computacionais de código aberto.
A ideia é estimular e atender à demandade empresas, universidades, instituições de pesquisa e órgãos de governo pelos programas. E criar soluções com uma espécie de “selo de qualidade” do grupo QualiPSo para o software desenvolvido de modo colaborativo por comunidades de programadores do mundo inteiro.
Referência brasileira em tecnologia, São Carlos fica distante 240 quilômetros dacapital. O novo centro pretende explorar o potencial de inovação existente na cidade,que abriga, além da USP, a Universidade Federal de São Carlos, duas unidades da Embrapa, dois parques tecnológicos e maisde 200 empresas de base tecnológica.
No Brasil a iniciativa do grupo QualiPSo é coordenada pelo professor José Carlos Maldonado, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP),também presidente da Sociedade Brasileira deComputação (SBC). Ele explica que os softwares a serem desenvolvidos no País incluem aplicações para governo eletrônico, difusão científica, cultural e sistemas críticos embarcados.
“A proposta é trabalhar de forma complementar ao Centro de São Paulo, coordenado pelo professor Fábio Kon, do IME-USP”, observa Maldonado.
Obras – A construção do centro deSão Carlos deve começar em março e aexpectativa de conclusão da primeira fase épara o final de 2009. O local escolhido foi o Parque Eco-Tecnológico de São Carlos, ainda em lançamento, um dos polos ligados ao Sistema Paulista de Parques Tecnológicos, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento.
No entanto, o centro de São Carlos começará a funcionar de modo provisório em fevereiro, em um escritório na sede do Instituto Inova, também na cidade. A equipe é formada por 30 profissionais,e a maioria deles são pesquisadores das universidades locais.
Cooperação – O coordenador internacional do QualiPSo, Matteo Melideo, comenta que os novos centros pretendem acelerar a obtenção de resultados pelo projeto e explorar novas oportunidades de negócios com o software livre. “A meta é disseminar os resultados já obtidos e apresentar aos governos e indústria internacionais as vantagens do uso”, analisou.
O Projeto QualiPSo é financiado pela União Européia e por empresas privadas envolvidas com desenvolvimento de software livre, como a Siemens (Alemanha), Bull(França) e Engineering (Itália). A instalação dos centros no Brasil tem como contrapartida a alocação de recursos da USP e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) na viabilização das instalações. O próximo encontro do grupo está previsto para o início de fevereiro, quando devem ser consolidados os resultados da reunião de São Carlos.
Francisco Belda
Da USP São Carlos